Que tal fazer uma árvore de natal natural?

Categorias: Arbustos, Árvore, Decoração

Montar a Árvore de Natal quando se tem crianças em casa é ainda mais mágico e divertido. Claro, é bagunça para todo lado… rolam bolinhas pra todo canto, você torce para que o pisca pisca esteja funcionando perfeitamente e quando termina de montar, percebe que seu coração está mais cheio de amor e também de gratidão por mais um ano que passou. É a mágica do Natal.

Ok! Mas, se para os Cristãos, “Natal” é “Nascimento”, onde surgiu afinal essa ideia de “Árvore de Natal”?

Um pouco de história

Civilizações antigas que habitaram os continentes Europeu e Asiático, no terceiro milênio antes de Cristo, já consideravam as árvores como um símbolo divino. Eles cultivam-nas e realizavam festivais em seu favor. Essas crenças ligavam as árvores a entidades mitológicas e sua projeção vertical, desde as raízes fincadas no solo, marcava a simbólica aliança entre os céus e a mãe terra.

Nas vésperas do solstício de inverno, os povos pagãos da região dos países bálticos cortavam pinheiros, levavam para seus lares e os enfeitavam de forma muito semelhante à que se faz nos atuais dias. Essa tradição passou aos povos Germânicos, que colocavam presentes para as crianças sob o carvalho sagrado de Odin.

No início do século VIII, o monge beneditino São Bonifácio tentou acabar com essa crença pagã que havia na Turíngia, para onde fora como missionário. Com um machado cortou um pinheiro sagrado, que os locais adoravam no alto de um monte, e como teve insucesso na erradicação da crença, decidiu associar o formato triangular do pinheiro à Santíssima Trindade e suas folhas resistentes e perenes à eternidade de Jesus. Nascia aí a Árvore de Natal este costume passou a ser adotado pela Nobreza, e da Nobreza chegou ao povo, que ainda hoje o repete. Antes disso, o Natal já era assinalado em Portugal com a tradição de “fazer o presépio”.

Embora tenha origens pagãs, a Árvore de Natal celebra o nascimento da Luz e a vida, num gesto transmitido ao longo dos séculos e repetido como prova de fé em Deus, seja qual for ideia que Dele tivermos, como força maior que governa a nossa vida.

Fonte: wikipedia

E que tal decorar uma árvore viva?

Se você ainda não montou sua árvore, que tal passar na HM e levar uma árvore viva pra casa? Você também pode decorar um pinheiro vivo, com bolinhas, luzes, papai Noel, tudo o que manda o figurino, apenas tomando cuidado para não sobrecarregar os ramos.

As espécies mais indicadas são as Tuias limão, as Kaizucas e os Ciprestes. A cor das tuias são muito bonitas e chamam atenção, por isso são bastante frequentes em decorações de Natal, já as Kaizucas são excelentes para ornamentar, porém os ciprestes são mais resistentes.

Independente da árvore que você escolher, ela precisará de claridade, ventilação e sol para permanecer saudável. O ideal é que sua árvore de natal fique próxima a uma janela durante esse período de festividade.

Fique atento a saúde da planta, se os galhos começares a secar verifique se sua árvore de natal não está sobrecarregada de enfeites. Em geral, luzes de Natal não oferecem grande risco, por causa da baixa potência. No entanto, o pinheiro pode ser prejudicado se a temperatura das luzes for acima de 20 graus.

A irrigação da planta deve ser feita uma vez por semana de maneira lenta e abrangendo todo o vaso, não se deve encharcar a raiz e é preciso garantir que todo o torrão fique igualmente úmido.

Outro cuidado é com a adubação, em geral feita quatro vezes ao ano e pelo próprio dono. São necessários em média 70gr de fertilizante nitrogenado a cada aplicação e o adubo deve ser depositado na periferia do vaso, nunca em contato com o caule da árvore.

Um Feliz Natal

Postado em 11 de dezembro de 2017 | Faça um comentário »

Deixe seu comentário!