Como ter uma cerca viva

Categorias: Arbustos, Dicas

As cercas vivas, como o próprio nome diz, são cercas feitas com plantas. Podem possuir várias finalidades como privacidade, enfeitar jardins, dividir terrenos, impedir entrada de pessoas, etc.

Para montar uma cerca viva, alguns fatores devem ser observados, como sua função, tipo de solo e clima da região, disponibilidade de água, mão de obra e aquisição das mudas.

Três plantas amplamente utilizadas para tal finalidade são o Pingo de Ouro, a Murta e o Sanção do Campo. São plantas resistentes, com bom fechamento, alto índice de “pegamento” e fáceis de cultivar, pois não exigem muitos cuidados. Se você prefere plantas com flores, as mais indicadas são: Primavera, Hibisco e Tumbérgia.

Cercas vivas podem ser verdes ou com flores

Passo-a-passo para plantar sua cerca viva:

  •  Escolha do Local

Deve-se evitar locais sombreados, alagados ou muito pedregosos, pois nestes, o desenvolvimento das plantas será baixo ou nulo.

  •  Análise do Solo

O solo deverá ser “corrigido” com pH. O material orgânico usado e os adubos são de extrema importância, por isso, devem ser na medida certa para não queimar as raízes. Obedeça as recomendações de cada uma das espécies que você escolher. Os compostos devem ser misturados muito bem com a terra e antes de efetuar o plantio deixe descansar uns dias.

  •  Preparo do Solo

O preparo do solo deve ser feito no mínimo 30 dias antes do plantio das mudas, para que o adubo tenha tempo de se integrar ao solo. A adubação deve ser feita preferencialmente com adubos orgânicos, como o húmus de minhoca ou composto orgânico, ricos em minerais e nutrientes.

  •  Escolha da Planta

Como havia dito, a escolha da planta irá variar de acordo com uma série de fatores, faça uma breve análise de sua região e observe quais as espécies mais utilizadas, qual o tipo de solo e principalmente o tipo de clima. A planta que você for utilizar deve se adequar ao clima de sua região, ao contrário, não irá se desenvolver e poderá morrer.

Defina a altura pretendida para sua cerca viva, existem plantas de pequeno, médio e grande porte. Uma planta que vem ganhando espaço no mercado das cercas vivas é a Murta, que é resistente, adaptável a diferentes alturas, não é muito exigente em água e cuidados e pode apresentar floração com aroma agradável. Arbustos, trepadeiras também podem ser utilizadas, porém, possuem desenvolvimento mais lento e exigem uma grade para sua sustentação.

  • Abertura das covas

As dimensões das covas irão variar de espécie para espécie, geralmente utiliza-se metragens de 30 x 30 x 30 cm a 50 x 50 x 50 cm, sendo o as maiores dimensões para plantas de grande porte. As covas podem ser abertas com cavadeiras, pás e enxadas

  • Montagem de canteiros

Os canteiros são mais utilizados para o cultivo de plantas de pequeno porte, na formação de maciços ou cercas vivas paralelas à cercas de plantas maiores. Geralmente sua profundidade não ultrapassa 30 cm, a largura e comprimentos variam.

  • Espaçamento

O espaçamento irá definir se a cerca será mais ou menos densa e pode variar de espécie para espécie. Os espaçamentos mais utilizados são 15, 20, 30 e 40 cm. No caso de formação de cercas vivas com filas duplas, o espaçamento pode variar de 15 x 15 cm a 40 x 40 cm.

  • Plantio

As mudas devem ser plantadas nas horas mais amenas do dia, devem ser regadas todos os dias na primeira semana, depois disso, podem ser molhadas de dois em dois, três em três dias ou uma vez por semana, dependendo das exigências da planta.

  • Podas

As plantas devem começas a ser educadas desde novas, começando a ser podada depois de sua estabilização no local de plantio.

A poda que irá definir a forma e altura da cerca, por isso, é uma prática que deve ser realizada por uma pessoa com experiência, pois se feita de maneira errada poderá causar efeitos que levarão tempo para ser concertados ou mesmo que sejam irreversíveis.

Pode ser feita com o auxílio de tesoura e alicate de poda, aparador elétrico de cerca viva e serrote de poda, caso a planta seja de grande porte.

Agora que você já tem algumas dicas, que tal começar seu projeto?

Postado em 10 de abril de 2017 | Faça um comentário »

Deixe seu comentário!