A técnica da Alporquia

Categorias: Dicas, Frutíferas

alporquia é uma técnica de multiplicação vegetativa de plantas, utilizada em algumas espécies de plantas com as quais a estaquia não funciona bem. Na alporquia a técnica consiste em enraizar um ramo quando ele ainda está preso a planta. Após a etapa do enraizamento ele é retirado da planta dando origem a uma nova planta.

alporquia

Estaquia é uma forma mais prática e rápida de multiplicação de uma planta. A estaquia ou “multiplicação por estacas”, é um meio de reprodução assexuada (propagação vegetativa), muito utilizada nas produções de mudas de plantas, principalmente as ornamentais e frutíferas. O método consiste no plantio de um ramo ou folha da planta, desenvolvendo-se uma nova planta a partir do enraizamento das mesmas.

Estaquia

Mergulhia é uma técnica de reprodução assexuada de plantas (propagação vegetativa), semelhante à estaquia, sendo a alporquia um tipo particular de mergulhia.
A técnica da mergulhia consiste em enraizar a planta a ser multiplicada sem que ela se desprenda da planta mãe. Para isso um ramo da planta é enterrado (mergulho) estando ele ainda ligado à planta, sendo por isso chamado de mergulhia.

mergulhia

Vantagem e desvantagem da Alporquia

Vantagem Desvantagem
Acredita-se que a Alporquia é mais eficiente em algumas plantas do que a estaquia. O método funciona em algumas plantas nas quais a estaquia não é eficiente. Na alporquia, a planta continua recebendo água e nutrientes da planta mãe, desta forma as chances de morte são menores, pois não ficam condicionadas apenas as suas reservas de nutrientes até o enraizamento se cumprir. É uma técnica mais trabalhosa e difícil se comparada a estaquia pois exige mais conhecimento e técnica de quem a faz. Comercialmente, é um método caro e de baixo rendimento, mas ainda é muito utilizado em produções comerciais de mudas frutíferas.

Como realizar a alporquia?

Podemos separar o processo em algumas etapas:

alporque

Passo 1 – A escolha do ramo

Escolha um ramo de uma planta adulta quem tenha entre 1 e 3 cm de diâmetro. Faça um anel de 3 a 5 cm de largura retirando a casta com uma faca de lâmina afiada.

Passo 2 – Cobrindo a parte anelada

Você precisará cobrir a parte do ramo sem a casca com um material que retenha bastante água, como por exemplo: esfagno, mistura de esterco e serragem úmida, etc. Esse material pode ser envolto a planta e prendido em um plástico, amarrando bem as suas extremidades. Dentro dele ocorrerá o enraizamento.

Passo 3 – Transplantando

Assim que você identificar um bom volume de raízes dentro do plástico é chegada a hora de cortar e transplantar. Mas esse ainda não é um transplante definitivo. Ela deve ser passada para um substrato adequado onde fica por algumas semanas. A muda é ainda muito frágil, por isso é importante que a proteja o sol forte, não encharque a planta e use uma pasta cicatrizante para evitar a perda da planta (evitando a entrada de fungos e umidade excessiva).

Abaixo selecionamos um vídeo que mostra um alporque sendo transplantado. Confira!

Postado em 17 de julho de 2017 | Faça um comentário »

Deixe seu comentário!